TELEJORNADAS 2020

 

A Aliança Francesa, o Instituto Cervantes e o Goethe-Institut de Salvador convocam professores de línguas estrangeiras e estudantes universitários de Licenciatura em Línguas Estrangeiras às I Telejornadas sobre ensino de Línguas estrangeiras, que têm como tema “As oportunidades do ensino remoto”.
 
Elas vão acontecer nos dias 25 de setembro e 2 de outubro por videconferência dentro da programação da Semana da Europa Digital, em razão do Dia Europeu das Línguas, celebrado no dia 26 de setembro, e têm carga horária total de 18h.
 
Se você é professor ou professora de uma língua estrangeira e tem realizado alguma atividade de aula interessante e eficaz no contexto de ensino remoto, poderá apresenta-la na seção “Troca de experiências” no dia 2 de outubro. Podem ser atividades relacionadas com o ensino da gramática, das habilidades oral ou escrita ou de aquisição de conteúdos culturais. Deve ser uma apresentação de entre 10 e 15 minutos. Para participar, é necessário preencher o formulário Troca de experiências. As propostas mais interessantes serão selecionadas para compor as mesas.  Os participantes e os temas de cada uma das mesas serão feitos públicos no programa das Telejornadas a partir de 15 de setembro. 
 
Todos os participantes vão receber um certificado de participação. O valor da inscrição é R$50,00. Para inscrever-se, preencha o Formulário de Inscrição, faça o pagamento e envie o comprovante a censalb@cervantes.es.

PROGRAMA

 

Dia 25 de setembro
 
8:30 – 9:00 Boas vindas e apresentação das Telejornadas

 
Oficinas 
9:00 – 10:00 Construir e animar uma aula de língua online: ferramentas e dificuldades. Duvernei Cristian da Riva

(Aliança Francesa)
 
10:00 – 11:00 Quebrar a tela: estratégias para que os alunos sejam agentes ativos nas aulas online.

Chema Rodríguez (Instituto Cervantes)
 
11:00 – 12:00 O uso de jogos e atividades digitais como aliados ao processo de ensino aprendizagem.

Natália Carneiro Monte (Goethe-Institut)

HORÁRIO DE ALMOÇO
 
13:00 – 14:00 Utilização dos aplicativos e plataformas disponíveis para atividades numa aula virtual: quais e como?

Adan Claiton (Aliança Francesa)
 
14:00 – 15:00 Possibilidades de formas sociais na sala de aula virtual utilizando a plataforma Zoom e dicas para atividade avaliativa utilizando formulários Google (ou Google Forms). Natália Carneiro Monte  (Goethe-Institut)
 
15:00 – 16:00 Planificar a aula usando o gênero textual como ferramenta para pensar e aprender em um contexto de aprendizagem online. Esther Blanco (Instituto Cervantes)
 
16:00 – 17:00 Gestão das diferentes inteligências numa aula virtual. O tratamento da diversidade.

Tatiana Rolemberg (Aliança Francesa)
 
17:00 – 18:00 Os jogos teatrais aplicados ao ensino online de línguas estrangeiras.
Antonio Nodal (Instituto Cervantes)
 
18:00 – 19:00  PALESTRANTE CONVIDADA: Jorgelina Tallei (UNILA)
Diversos contextos de ensino/diversas conexões? Ensino remoto: algumas reflexões sobre a pandemia
 
 
Dia 2 de outubro
 
Aulas experimentais 
8:00 – 9:30 Aula zero de francês: Thamires Ilana dos Santos Silva (Aliança Francesa).
9:30 – 11:00 Aula zero de espanhol: Esther Blanco (Instituto Cervantes)
11:00 – 12:30 Aula zero de alemão: Stefanie Lopes Bauer (Goethe-Institut)

 
HORÁRIO DE ALMOÇO
 
Troca de experiências de aula
Apresentações de 10 a 15 minutos de uma experiência em aula. Pode ser uma sequência didática ou uma

determinada atividade, jogo ou trabalho. O professor a descreve e comenta.
 
1ª mesa: das 13:30 às 15:00
2ª mesa: das 15:00 às 16:30
 
Fechamento
Leitura de poemas ou fragmentos de autores nas três línguas.
 
Carga horária total: 18 horas


 
RESUMOS
 
PALESTRA INAUGURAL
O ensino de línguas e as novas tecnologias da informação e comunicação: desafios nas aulas de idiomas.
Jorgelina Tallei (UNILA)
25 de setembro, às 18:00
 
O seguinte módulo tem como objetivo refletir sobre as ações e as características que envolvem as propostas e desafios e o trabalho docente no ensino de idiomas e as tecnologias da informação e comunicação. Qual é o papel do docente trabalhador de ensino de idiomas no cenário do ensino remoto? Trabalharemos conceitos sobre as políticas públicas em relação às tecnologias e o âmbito educativo, o ensino remoto e os desafios que suponha elaborar, ministrar e preparar

aulas com ferramentas digitais. Sabemos que o letramento digital é muito importante na formação docente, mas é

importante refletir que ele deve ser pensando na cultura digital como parte integrante da formação continuada e da

inclusão digital como política pública de educação. Neste contexto, as aulas de idiomas adquirem novos conceitos (re)significando conceitos na sala de aula. 
 
Jorgelina Tallei é doutora em Educação pela UFMG, Mestre em Letras pela USP, Licenciada em Letras pela Universidade Nacional de Rosário na Argentina. É docente de espanhol como língua adicional no Ciclo Común de Estudios da Universidade Federal de Integração Latino-americana (UNILA). Participa como pesquisadora do Grupo de Pesquisa Linguagem, Política e Cidadania da UNILA. Elabora material didático de espanhol como língua adicional destinado a estudantes brasileiros/as. Tem interesse nas áreas de ensino de espanhol como língua adicional, formação docente na fronteira, interculturalidade e cultura digital.
 


OFICINAS
Construir e animar uma aula de língua online: ferramentas e dificuldades.
Duvernei Cristian da Riva (Aliança Francesa)
25 de setembro, às 9:00h
 
Estamos todos confrontados a uma obrigação de reorganizar todas as nossas aulas e a nossa maneira de ensinar, de nós comunicarmos com os alunos. Professores e professoras de línguas querendo dar uma evolução as suas práticas de sala de aula e melhorar a sua adaptação na modalidade de aula online, vamos tentar responder as suas perguntas e dar algumas dicas nesta oficina apresentando técnicas e ferramentas para ter uma boa base de trabalho para ajudar a construir a sua aula online com a ajuda de Wordwall, MindMeister, Google docs.
 
Utilização dos aplicativos e plataformas disponíveis para atividades numa aula virtual: quais e como?
Adan Claiton (Aliança Francesa)

25 de setembro, às 13:00h
 
Uma aula online é uma ferramenta que oferece ao professor a possibilidade de ensinar à distância aos alunos de maneira síncrona. Apesar de ser à distância, atrás um computador, um tablet ou um celular, os alunos e o professor estão juntos para se comunicar, usar o chat, os recursos da plataforma, dividir vídeos, documentos, áudios, tela, quiz, fazer jogos.... tudo isso usando aplicativos e plataformas disponíveis. Nesta oficina, vamos selecionar e apresentar algumas destas ferramentas como Quizinière, Padlet, Poll Everywhere e Plouf-Plouf com exemplos de atividades lúdicas para o melhor prazer dos seus alunos.
 
Gestão das diferentes inteligências numa aula virtual. O tratamento da diversidade.
Tatiana Rolemberg (Aliança Francesa)

25 de setembro, às 16:00h
 
“Todo mundo é um gênio. Mas se você julgar um peixe por sua capacidade de subir em uma árvore, ele vai gastar toda a vida acreditando que é estúpido.” Esta frase, supostamente atribuída a Einstein, é um ótimo ponto de partida para o entendimento do que são as “Inteligências Múltiplas” e o impacto que esse conceito pode ter na aprendizagem dos seus alunos numa aula de língua online. Nesta oficina, vamos partir do pressuposto de que há múltiplas inteligências na sala e múltiplas formas de aprender, e vamos apresentar várias estratégias metodológicas visando incluir a todos, evitando que os alunos fiquem para trás e desmotivados.
 
Quebrar a tela: estratégias para que os alunos sejam agentes ativos nas aulas online.
Chema Rodríguez (Instituto Cervantes)

25 de setembro, às 10:00h
 
A tecnologia é um apoio inestimável para continuar com nosso labor em tempos de pandemia, mas também constitui um perigo real de voltar à aula expositiva, magistral. Nesta jornada apresentamos estratégias para que o professor possa quebrar a barreira psicológica da tela dos dispositivos eletrônicos. Para tanto, mostraremos ferramentas das próprias plataformas de videoconferência. Também programas e sites que fomentam a interação e a autonomia dos alunos. Apresentaremos esses recursos e vamos propor dinâmicas para torná-los mais efetivos, interessantes e divertidos.
 
Planificar a aula usando o gênero textual como ferramenta para pensar e aprender em um contexto de aprendizagem online.
Esther Blanco (Instituto Cervantes)
25 de setembro, às 15:00h
 
Planificar sequências didáticas eficazes é uma das competências chave que deve ter um bom professor de LE. Nesta oficina, vamos analisar uma sequência didática que utiliza estratégias de mediação baseadas no uso do texto como fonte de recursos e como finalidade comunicativa à qual orientar na aula as ações de aprendizagem. Através da observação, a reflexão e o trabalho cooperativo em remoto, elaboraremos um pequeno guia para a planificação de aulas partindo do gênero textual.
 
Os jogos teatrais aplicados ao ensino online de línguas estrangeiras.
Antonio Nodal (Instituto Cervantes)

25 de setembro, às 17:00h
 
Através dos jogos teatrais nas aulas de ensino de línguas estrangeiras, cria-se uma ponte lúdica que fomenta a oralidade dos alunos com dificuldades expressivas e, ademais, auxilia na atenção às necessidades daqueles que, no contexto atual e por pertencerem a diferentes faixas etárias, aprendem línguas mediante o ensino online. Hoje, o aluno encontra-se imerso em uma nova forma de se comunicar e de se expor pelo meio digital, esse maior grau de exposição pode, consequentemente, gerar diferentes bloqueios no processo da aprendizagem da LE. Por isso, precisamos mais que nunca reinventar estratégias de ensino, para tentarmos aprimorar as lacunas do aluno durante a aprendizagem da LE.
 
O uso de jogos e atividades digitais como aliados ao processo de ensino aprendizagem.
Natália Carneiro Monte (Goethe-Institut)

25 de setembro, às 11:00h
 

O ano de 2020 trouxe desafios jamais imaginados aos professores. Vivemos momentos de incerteza, insegurança, mas com certeza de muito aprendizado. O aprender esteve neste ano cada vez mais ligado às tecnologias e, nesse processo, o celular tem sido o maior aliado dos aprendizes. Entre as metodologias mais comuns para o ensino remoto/virtual estão o uso de aplicativos e sites que auxiliam no processo de ensino aprendizagem. O desafio do professor foi tornar essas tecnologias também uma aliada na sala de aula virtual. Segundo BUENO (2014), com a evolução e a popularização dos games por meio do uso de dispositivos móveis, encontramos cada dia mais jovens envolvidos no universo dos jogos. Ao mesmo tempo em que essa revolução acontece no mundo das novas gerações, o professor busca possibilidades para integrar novas ferramentas que possam beneficiar o processo de aprendizagem e ainda acompanhar as incessantes mudanças sociais. Nesse contexto, encontramos várias ferramentas e mídias que podem ser utilizadas para essa aproximação à exemplo de alguns sites e aplicativos, dentre eles: edupad (plataforma para a escrita coletiva), quizlet (cartas de aprendizagem para o estudo individual e a versão live para as aulas coletivas), kahoot (para a criação de quiz).
O uso das tecnologias como aliado às atividades na sala de aula, sejam essas atividades remotas ou presenciais, pode favorecer a aprendizagem de conteúdos de maneira divertida e descontraída. Esta oficina tem a intenção de apresentar alguns desses aplicativos e algumas formas de utilizá-lo em sala de aula, seja virtual ou presencialmente.
 

Possibilidades de formas sociais na sala de aula virtual utilizando a plataforma Zoom e dicas para atividade avaliativa utilizando formulários Google (ou Google Forms).
Natália Carneiro Monte (Goethe-Institut)

25 de setembro, às 14:00h
 
A internet mudou os aspectos sociais e culturais além de alterar a forma como nos comunicamos, modificando assim a nossa vida e a forma como vivemos. Com a pandemia da COVID-19, aprendemos a utilizar a tecnologia para dar aulas online utilizando plataformas virtuais e possibilitando ao aluno a experiência de interação no processo de ensino-aprendizagem no ambiente virtual. Este webnário tem a intenção de apresentar algumas possibilidades de formas sociais na sala de aula virtual utilizando a plataforma Zoom e fazer uma breve apresentação do Google Forms (ou formulários Google) como um instrumento avaliativo alternativo para a sala de aula virtual de línguas estrangeiras.

EUNIC BRASÍLIA

EUNIC CURITIBA

EUNIC RIO DE JANEIRO

EUNIC SALVADOR

EUNIC SÃO PAULO

EUNIC PORTO ALEGRE